Believe – Sonhar, Lutar e Conquistar (2011)

Origem: Brasil
Gêneros: Power Pop, Eletrônica, Pop Rock
Gravadora: Independente

Nós já sabemos da explosão do Power Pop aqui no Brasil, graças a bandas como Restart e Cine, algo relativamente parecido com que ocorreu nos Estados Unidos com as bandas de Screamo e Metalcore. E na história da música sempre teve bandas que aproveitavam o sucesso de um gênero para engrenar e quem sabe fazer parte desse sucesso, mas sem sucesso algum. A banda Believe é um desses grupos sem personalidade. Em seu EP, vemos uma mistura de Cine, música eletrônica, Restart e outras bandas, igualmente a Believe, sem originalidade que buscam reconhecimento comercial e algumas outras influências inesperadas e muito pouco aparentes. Graças essas bandas que um gênero se desgasta e vira “podre”.

Não iremos falar das letras, pois, honestamente, são todas no mesmo estilo. Todas tem uma mensagem positiva relativamente parecida com rimas pobres e comuns (praticamente um pleonasmo que eu cometi aqui). Nada especial que você diga “Nossa! Que letra incrível! Coisa de gênio!”, mas ainda é melhor que “Ela já faz faculdade, e eu aqui aprendendo a dirigir”. Esse EP, com uma capa simples que eu acabei gostando, começa com “Abra a Janela”, o primeiro single do EP. Uma boa introdução, nada muito original, é estragada por inserção de música eletrônica. O vocalista, que visualmente parece o Elliot do Glória e que canta como DH do Cine, faz a banda Believe parecer a banda Cine. No começo quando ele canta até que não parece, mas depois fica muito jogado na sua cara. Faixa grudenta e a melhor do EP. “Let’s Go” é a próxima, e aqui as coisas ficam ainda mais eletrônica. Uma faixa que estaria no Boombox Arcade, também do Cine. Não quero mais repetir esse termo, mas todas as canções são grudentas, então se você gosta do gênero, isso vai sua praia.

Em “Até a Noite Acabar”, o “negócio fica tenso”. Um garoto que faz uma voz relativamente parecida com a do Pe Lanza, do Restart participa das linhas vocais da música! Então deixa eu ver se eu entendi direito. Os caras não estavam satisfeitos com um cara parecido com Elliot do Glória e que canta igual ao DH do Cine, agora colocam um Pe Lanza para cantar? E o pior, esse “cover” do baixista e vocalista da Restart participa cada vez mais nas faixas, como em “Eu Já Não Sei”, “5AM” e na faixa bônus “Só Quero Você”, e para piorar a porra toda, o álbum está disponível para download aqui, ELES INCLUEM A PORRA DA FAIXA BÔNUS PARA DOWNLOAD NA PORRA DO EP! Caralho! Ao invés de colocarem a faixa bônus para quem fosse comprar o EP e deixassem sem para quem fosse baixar, aí quem fosse comprar ganhava uma canção a mais e seria mais justo, mas a banda não pensa com lógica, pensa com a bunda ou com a merda da cabeça de baixo ao invés da maldita cabeça de cima na qual o seu cérebro era pra funcionar corretamente e ter alguma noção de crítica! Perdão pelas palavras sujas ditas aqui, mas sinceramente, tem que ser muito burro e sem personalidade para lançar isso.

Então veremos de maneira rápida os pontos negativos do EP (e algumas coisas a mais não citadas a cima): Letras frouxas, bobas, comuns e com mensagens relativamente parecidas geradas em tornos de relacionamentos, além claro das rimas pobres e comuns. Instrumental confuso e mistura muitas influências que no fim não levam a lugar nenhum (“Abra a Janela” é o maior exemplo, junto com a parte funkeada da faixa bônus, e não me refiro ao Funk Carioca) e linhas vocais banais, irritantes e semelhantes aos vocalistas DH e Pe Lanza, que tudo junto forma uma banda, que eu já disse muitas vezes, sem personalidade. O que há de bom aí? Alguns momentos bacanas, como a introdução de “Abra a Janela”, a parte com influência Funk em “Só Quero Você”, e o final de “5AM”. Apesar de muita porcaria, principalmente o péssimo uso da Eletrônica (aprendam com Foster The People e MGMT), tem seus bons momentos, mas que no fim, gera uma banda que é “Unbelieve”. Recomendado apenas se você for colorido ou tiver 12 anos, se bem que provavelmente você tem que ser os dois para gostar disso.

2 pensamentos sobre “Believe – Sonhar, Lutar e Conquistar (2011)

  1. Não achei a capa legal, a fonte aonde está escrito Believe é enjoativa de tão simples e a cor ajuda a ficar meio enjoadinha tbm(minha opinião), mas a cor também combina com a banda, um preto não ficaria muito bem ai xD Sem falar que esses simbolos lembram bastante aqueles do Harry Potter que eu sempre vejo (mesmo sem gostar ou ver/ler a saga), mas são filmes/livros que atingem o mesmo público, mesmo sendo que Harry Potter possuem outras “tribos”, mas o pessoal colorido ta ai.

    Sobre o “som” da banda, é realmente tenso, e parece mesmo uma mistura dessas bandas coloridas mais famosas. A ideia de colocar uma bonus track em um EP virtual foi muito legal, para mim, pois me fez rir horrores, adorei isso dshudshudsuhds

    Gostei da resenha Sennador o/ Só achei que faltou falar das música em sí, mas pensando bem, pra essa banda nem é preciso xD

    Menina Estranha rulez \,,/

  2. Pingback: Black Tide – Post Mortem (2011) « Images & Words

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s