Kvelertak – Kvelertak (2010)

Origem: Noruega
Gêneros: Heavy Metal, Punk Rock, Rock N’ Roll, Black Metal
Gravadora: Indie Recordings

O Kvelertak que possuí Erlend Hjelvik nos vocais, Vidar Landa, Bjarte Lund Rolland e Maciek Ofstad nas guitarras, Marvin Nygaard no baixo e Kjetil Gjermundrød na bateria, é uma banda jovem, que teve seu primeiro trabalho (ainda uma demo) em 2007 e seu álbum homônimo como Debut em 2010. Mesmo com pouco tempo para mostrar para o que veio a banda já conseguiu grande sucesso e também prêmios pela Europa (sem falar que o próprio Dave Grohl entregou o Disco de Ouro na Noruega a banda) e o primeiro álbum dos caras já é considerado uma das melhores (se não a melhor) estréia de uma banda Norueguesa. E é claro, não podemos não mencionar a bela capa (muito linda mesmo) do disco, feita pelo vocalista e guitarrista da banda Baroness, John Baizley, que também é artista, grande trabalho.

O disco começa com Ulvetid (e se acostume com esses nomes esquisitos, estão todas em norueguês tirando Sultans Of Satan, e eles cantam na sua língua nativa também!) que mostra bem o que a banda é, uma mistura de Punk Rock com Black Metal. “Punk rock/metal brutalmente cativante com uma pitada de escuridão”, como eles mesmo dizem. A faixa não tem frescuras, é agitada e rápida com um vocal bem influenciado pelo Black Metal. Emendamos com talvez as quatro faixas mais famosas do álbum, primeiro vem Mjød, que possuí um vídeo-clipe bem legal, música bem curta (2 minutos e 31 segundos) e também um refrão bem cativante. Fossegrim é uma faixa bem interessante, e uma das melhores do álbum, um refrão bem legal e guitarras bem trabalhadas, e continua a simplicidade e agitamento das duas primeiras canções (pois, são influenciadas pelo Punk). Blodtørst é a mais famosa do álbum e por méritos, uma faixa bem cativante e muito bem trabalhada, Erlend Hjelvik mostra desde este primeiro álbum do grupo, que é um grande cantor! Offernatt é a quinta faixa, e que riff!

Os destaques como sempre ficam na voz de Erlend Hjelvik e nas guitarras (são três!), mas com certeza temos que dar mais créditos ao guitarrista Bjarte Lund Rolland, pois ele é a mente da banda, compõe absolutamente tudo, grande trabalho. Quando acaba Offernatt você já deve ter uma opinião sobre o disco, se você gostou, faz muito bem acabar a audição do CD, se não, eu digo que não muda quase nada, Sjøhyenar (Havets Herrer), Sultans Of Satan e Nekroskop segue mais ou menos a mesma linha das cinco primeiras canções, um metal influenciado pelo punk, que faz um som poderoso, sempre tendo destaque a voz de Hjelvik e o trabalho das guitarras, com solos muito bem trabalhados e Bjarte mostrando que é um compositor de responsa.

Se você chegou em Liktorn deve ter gostado do trabalho dos caras, e fez bem em chegar nela, uma faixa mais do que nunca que lembra o Mastodon, grupo que por sinal muitos dizem que o Kvelertak parece. A décima e penúltima faixa é Ordsmedar av Rang, gosto muito de alguns gritos do Hjelvik nessa, faixa muito boa. Utrydd dei Svake fecha o disco como a faixa mais longa do Debut do Kvelertak, com seus 6 minutos e pouquinho. Uma das melhores do disco, fizeram muito bem em encerrar com essa, intro poderosa para um riff poderoso, refrão legal e o solo dela é totalmente sensacional!

Kvelertak não é algo revolucionário ou genial, mas não deixa de ser um ótimo álbum de Heavy Metal/Punk Rock/ Rock N’ Roll, e é uma banda que eu aposto bastante, talento não é o que falta, agora é só esperar para o segundo lançamento do grupo, que deve acontecer em 2012, para sabermos se vai ser uma banda que vai deslanchar ou apenas uma promessa que não vingou, assim como o Black Tide.

Anúncios