Red Hot Chili Peppers – I’m With You (2011)

Origem: Estados Unidos
Gêneros:  Funk Rock, Rock Alternativo
Gravadora: Warner Bros.

O grupo americano de Funk Rock lança seu décimo disco de estúdio e o primeiro após a saída do guitarrista John Frusciante (que ocorreu em 2009) e com o guitarrista Josh Klinghoffer. A banda de Anthony Kiedis, Flea e Chad Smith não lançavam um disco desde o Stadium Arcadium, de 2006. Tanto I’m With You quanto Stadium Arcadium foram produzidos pelo famoso produtor Rick Rubin. O álbum de 2011, I’m With You, possui 14 faixas e quase 60 minutos de duração. Antes de irmos ao recheio do bolo, digo as músicas, é necessária uma crítica a capa do disco da banda. Se eu gostei da capa, sim, eu gostei. Mas a minha crítica é para onde eles colocaram o nome da banda na capa. Onde está o nome da banda na porcaria da capa? Ah sim, agora eu estou enxergando o nome, depois de quase ficar cego tentando procurar pelo maldito nome, que está em branco! O que eles estavam pensando na hora de fazer a capa? Vamos fingir que isso nunca aconteceu e vamos ao que realmente interessa, as 14 faixas.

O disco começa com a faixa “Monarchy Of Roses”, uma música com um estilo psicodélica, principalmente nos efeitos na voz de Anthony Kiedis, mas assim como ocorre com outras faixas, ela é pouco atraente e não é a faixa certa para se começar. Falando em guitarra, o novo guitarrista da banda, Josh Klinghoffer faz um trabalho comum e abaixo do que se era esperado, com linhas de guitarras fracas e muitas distorções de guitarras, que acabam soando irritantes. As linhas de baterias de Chad Smith as vezes são bem fracas, e chegam a decepcionar. Anthony Kiedis é outro que não fez um bom trabalho no disco, com algumas interpretações iguais a outras faixas que chegam a irritar. O único que mantém uma boa atuação no disco todo é o baixista Flea, que em alguns momentos faz belos sons no piano.

Tem alguns momentos muito interessantes no álbum, como o solo de saxofone em “Did I Let You Know”, a sensacional “Goodbye Hooray”, que essa sim deveria ser a faixa de abertura, onde a banda se sai muito bem. A interpretação de Kiedis é empolgante, e a cozinha de Chad e Flea é muito boa, sem falar que as distorções de guitarras funcionam muito bem aqui. Outras faixas que fazem bem ao disco são “Look Around”, “Happiness Loves Company” e a minha faixa favorita “Even You Brutus?”, que fazem bem a um disco que em alguns momentos do disco soa chato, como em “Ethiopia” e “Factory Of Faith”. Uma faixa que começa chata e termina bonita e legal é “Police Station”, que poderia ser encurtada, já que possui mais de 5 minutos de duração, só perdendo para “Brendan’s Death Song” em duração, que aliás é outra faixa que pode ser denominada chata. O encerramento do disco eu considero abaixo do esperado. “Dance, Dance, Dance” encerra o disco acompanhada de “Meet Me At The Corner”, na qual ambas as faixas são pouco atraentes, o único diferencial é que a partir de 2:30 de “Dance, Dance, Dance”, a música fica interessante e bem divertida e em bom clima para se encerrar o CD.

Mesmo com uma pausa de 5 anos, o que geralmente faz bem a uma banda que tem o costume de lançar discos após discos e entrar em turnês após turnês, ao Red Hot Chili Peppers não o fez. A banda lança um disco mediano, com alguns defeitos e até cansativo, principalmente nas interpretações repetidas do vocalista Anthony Kiedis, mas se você ignorar as falhas do disco, é até possível se divertir, dançar e quem sabe “viajar” nas músicas da mesma maneira que você que viaja escutando Pink Floyd. Ainda mais se você for fã da banda de Funk Rock, pois, infelizmente, esse CD é apenas atraente para quem escuta o grupo a certo tempo.

6 pensamentos sobre “Red Hot Chili Peppers – I’m With You (2011)

  1. Sabe eu sou um fã da banda e eu nao posso falar desta, porque se eu for falar eu só vou dar elogios mas o Josh no começo parecia estar “intimidado” principalmente no show que eles fizeram que passou nos cinemas, mas ele melhorou bastante e em relação a Monarchy of Roses a minha opiniao é muito dividida porque no começo eu odiava ela mas depois que o clip dela foi lançado eu comecei a “amar” ela.
    Então eu reconheço a queda do RHCP mas eu acho que ja esta voltando ao seu nivel antigo e em John Frusciante ele mesmo disse que ele saiu da banda pois estava cansado entao eu nao sei se seria melhor o RHCP com o Josh que pode melhorar ou com o Frusciante que estava cansado do seu trabalho.

  2. Muito legal o teu trabalho aqui Senna, já tinha acessado uma ou outra vez, mas só passado o olho, agora que apareceu um artigo do RHCP, parei pra ler. Gostei da tua análise, aí já li outras duas de relance.

    Sobre o I’m With You, me decepcionou um pouco, eu esperava bem mais depois dessa pausa que teve desde o Stadium Arcadium. Quanto a análise, gostei das opiniões sobre as músicas em si, só faltou comentar sobre Annie Wants A Baby e The Adventures of Rain Dance Maggie, que são duas músicas que eu curti, principalmente essa última, e você não disse o que achou delas.

    É isso, e continua aê Senna e os outros dois, vou ler os posts sobre as bandas que curto e já foram postadas nos próximos dias, tô curtindo o trabalho de vocês! =D

    • Obrigado, caro Lucas Ranzan. E espero que goste das outras leituras!

      Sobre as faixas que não comentei, é porque eu não senti necessidade de comentar sobre elas, já que achei elas relativamente desinteressantes.

  3. Cara, sempre foi minha banda favorita, então eu sou suspeito pra falar sobre esse CD. Na minha opinião, ele é bem melhor que o Stadium Arcadium, resgatou um pouco do que o Red Hot era no passado, algo que ficou muito POP naquele último CD.

    Anthony ainda é um poeta simplesmente fantástico, e pra mim, ao contrário da maioria, “The Adventures of Rain Dance Maggie” não passa nem perto do rótulo de melhor música do CD. A segunda parte do disco deixou um pouco a desejar sim, com “Dance, Dance, Dance” se destacando, mas são músicas que ouvindo algumas vezes, acabam pegando.

    Toda essa inspiração e novo destaque que o Red Hot teve poderia ter sido ainda maior se o John ainda estivesse na banda.

    Parabéns Sennoca!

    • Ae Marcus eu tambem sou fan e eu tambem estou gostando do CD e eu prefiro o RHCP de hoje do que o dos ultimos show com o Frusciante se tu parar pra olhar eles tu vai que eles não estava tão “animados” quanto aos shows de 2003 por exemplo, mas hoje em dia esta bem melhor o Rock in Rio é um exemplo de que eles conseguem animar o publico durante quase todo o show.

      • Valeu cara!🙂

        E é até que é verdade, vai saber o que se passava entre eles. A energia deles realmente tá foda, relembrando um pouco os velhos tempos. É uma banda de outro nível!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s