Edguy – Age Of The Joker (2011)

Origem: Alemanha
Gêneros: Hard Rock, Heavy Metal, Power Metal
Gravadoras: Nuclear Blast, A&M, The End

O Edguy é uma banda que nasceu nas raízes do Power Metal, a influência de Helloween é inegável (como a do Iron Maiden também), fizeram álbuns considerados clássicos do estilo, como os excelentes Theater Of Salvation e Mandrake, e neste último citado, a banda começou a mudar um pouco seu estilo (e que fizeram muito bem nisso, um artista tem que ser feliz com o som que está fazendo e manter a cabeça fechada a um estilo nunca me cairá que ele está totalmente feliz com sua música). A mudança foi ficando cada vez mais radical, depois das poucas visíveis no Mandrake, Hellfire Club foi um álbum que mantinha o Power Metal, porém com muito mais influência do Hard Rock, e o disco possui a música Lavatory Love Machine, coisa mais Hard Rock que isso o Edguy nunca tinha feito, mas foi no álbum de 2006, Rocket Ride, que o Hard Rock entrou na banda de vez, um álbum muito diferente de qualquer outro dos alemães, claro que muito fã true começou a falar suas baboseiras, e eu a passar do tempo vi que era um grande disco. Tinnitus Sanctus de 2008 só confirmou de verdade a mudança da banda, para o que muitos esperavam uma continuação do Mandrake, viram o album mais pesado da banda, mais frio, mesmo com a Bonus Track “Aren’t You A Little Pervert Too?” (em tom sarcástico, é claro) a banda não teve aquela pegada “Happy Metal” (ouvindo Edguy e Helloween, ficava feliz em dizer que isso era Happy Metal, por causa das palhaçadas, mas alguns brasileiros estragarem a graça do nome, que nem fizeram com o ótimo estilo musical, Funk) que todos conheciam dos palhaços (ou coringas?) do Edguy.

No Natal de 2010, eu lembro que quando cheguei em casa as 5:00 e fui mexer um pouco no PC, abri um site de noticias de Rock e Metal, e vi que o Tobias Sammet tinha mandado uma mensagem para os fãs para o Natal, nele tinha aquelas baboseiras de sempre, elogiando os fãs e bla bla… Só que no final, Tobias Sammet disse que  viria um novo album do Edguy no verão euroupeu de 2011 (meio do ano), meu dia que tinha sido uma merda virou uma maravilha (quem me conhece sabe que o Edguy é a minha banda favorita). Muito se especularam sobre o Age Of The Joker, muitos falavam que se não voltasse ao Power Metal não ia valer a pena, que o Edguy acabou no Hellfire Club (olha que falam mal desse também), mas isso é típico dos tão chatos e quadrados “True Metal Old School Fan From Hell FUCK YEA”.

Eu, realmente nessa época tava viciado na Era Power Metal do Edguy, queria que voltasse essa raiz um pouquinho mais, mas sem desmerecer trabalhos que não são Power Metal que nem nos dois albuns anteriores, músicas que nem Speedhoven, Sacrifice e Return To The Tribe são maravilhosas, bom, no final das contas eu pensei mais sobre isso,e eu apenas queria que o Edguy fosse Edguy! As palhaçadas, a diversão, os solos duplos de Jens e Dirk, mini solinhos do Tobi Eggi, a “dancinha das guitarras” que fazem ao vivo e com o “Allien Drum Bunny”, Felix Bohnke matando a pau como sempre.

Chegou agosto, mês da estreia mundial do album, eu ouvi a versão do Clipe de Robin Hood, não era a inteira, a faixa de 8 minutos virou um single de 5 minutos, então não tive como e não quis analisar isso, a ansiedade bateu muito forte nesse mês de agosto, por dias isso foi a razão do ano para mim(ta… isso foi MUITO fan girl). Ouvi algumas previews das músicas no Site Oficial, mas muito cedo para dizer algo, eu me concentrei mais nos nomes das faixas, adorei Pandora’s Box (Seria um tributo ao Aerosmith?), The Arcane Guild e a que eu mais gostei, Behind The Gates To Midnight World, “soa épico!” eu dizia.

Então. O album saiu, dia 26 de agosto, e aqui eu trago para vocês a minha visão sobre ele.

O album começa com a já conhecida Robin Hood, muitos adoraram, outros falaram muito mal, eu gostei da música, a intro dela é muito boa, já de cara dá para perceber o trabalho de Sascha Paeth, os sons estão fenomenais! A voz de Tobias Sammet está muito poderosa, mais do que nunca, o refrão da música eu achei um pouco “grudenta” de mais. Gostei da letra, e a passsagem do meio da música é sensacional. Continuamos com Nobody’s Hero, a mais pesada do album, confesso que demorei bastante para gostar mais dela, mas é uma faixa bem poderosa, teclado não muito “visível”, mas faz um excelente papel, Jens e Dirk estão na suas melhores fases com suas guitarras, como alguns fãs diziam, “Quando o Tobias Sammet estava em turnê com o Avantasia, os dois deviam ta estudando com as guitarras”, melhores riffs e dupla mais afiada de guitarristas que agora o Edguy nunca teve! Rock Of Cashel é a faixa seguinte, intro muito boa, com um mini-solo, essa é uma das minhas favoritas, tem um refrão bem “grudento” também, e a música é apenas boa até a metade dela (o refrão se repete muito, o grande problema desse album para mim, pois a maioria deles são muito grudentos como já disse), mas a segunda metade dela… Emociona! A primeira vez que eu ouvi eu fiquei muito feliz mesmo, e vi o porque eu gosto tanto dessa banda, uma das melhores do CD com certeza.

A faixa número 4 é Pandora’s Box, uma música com uma pegada Country, mas sem perder o peso, como eu disse antes, será que é um Tribute ao Aerosmith? O nome da faixa e o jeitão dela lembra muito, para mim sim! Uma das favoritas dos fãs desse album, realmente é uma música muito boa e criativa, o solo do Jens ficou muito legal. Agora temos Breathe, a quinta faixa, eu adoro o começo dela, mas não gostei tanto do teclado na música, soou meio esquisito, outro solo que eu gosto muito do Jens, depois do solo a música fica mais lenta, Tobias vem cantando e a música cresce de novo! Um Hard Rock muito bem executado.. Two Out Of Seven e Faces In The Darkness são as próximas, Two Out Of Seven também começa com uma intro de teclado, até parecida um pouco com a de Breathe, nada de mais, a música é uma crítica a Imprensa e a todos que falam mal deles, as Revistas e Sites que os críticam e que dão nota 2/7(nota 2 para um total de 7) para os albuns da banda, a faixa é um bom Hard Rock, e cuidado, pode viciar! E não dá para não comentar o trecho final aonde Tobias canta “What The Fuck? Suck My Cock” e “When I wank at the bank, I’m ten out of ten my friend”, sem perder o jeito brincalhão da banda, a música apenas peca demais no mesmo quesito das outras, refrão muito repetitivo, e continuamos com Faces In The Darkness! Uma das minhas favoritas, essa vicia também, adoro o pré-refrão e o refrão dela, os agudos do Tobias, uma das melhores do album!

The Arcane Guild e Fire On The Downline seguem o album, The Arcane Guild é uma música muito gostosa de se ouvir, eu adoro ela e o seu clima, passagem legal seguida de um solo muito bom de Jens,um dos meus favoritos dele no album, e sempre acompanhado da bateria de Felix(mesmo que esse não seja um grande destaque do album). Fire On The Downline tem uma intro “triste” que me cativou bastante, ótima intro!(Esses agudos do Senhor Sammet… Meu Deus hein!), refrão bem legal também, Hard Rock bem tocado, as guitarras estão muito bem, Tobi Eggi e seu baixo não tem lá grande destaque, mas mesmo assim o baixo dele está acompanhando as guitarras de Jens e Dirk com classe.

Behind The Gates To Midnight World… A que o nome “soa épico”, a mais aguardada por mim, sem palavras para descrever essa, está tudo tão bom aqui, agudos lindos do Sammet, refrão muito bom mesmo, o melhor do album, eu até arrisco a dizer que essa é uma das melhores músicas só não do Age Of The Joker, mas sim do Edguy! O solo ja acompanhado por uma passagem com um teclado muito melódico e ótima, Tobias volta cantando até chegar uma espécie de “segundo refrão” da música, “Run Away! Run Away!”, outra passagem, agora básica, e voltamos para acabar a faixa com o refrão, a melhor do CD com certeza.

Encerramos o album com Every Night Without You. É… A primeira balada do album! Gosto muito do começo dela(quando Tobias começa a cantar), mas não é nada de grande expressão, boa balada, poderia está no CD Bonus, ou no máximo no meio do CD (acabar com Behind The Gates To Midnight World seria totalmente espetacular).

Bom, é isso, o Age Of The Joker versão normal chega ao fim, mas ainda tem o Disco Bonus (TCHARAM).

E ele começa com a ótima God Fallen Silent, música composta pelo guitarrista Jens Ludwig, guitarras rápidas, refrao muito bom, riff bem rápido também, com certeza ela poderia estár no Age Of The Joker (no lugar de Every Night Without You talvez), a minha favorita do Disc Bonus.

A próxima é Aleister Crowley Memorial Boogie, eu gostei do refrão, mas não achei ela nada de mais, apesar do nome, que eu adorei, bom riff, boa faixa para um CD Bonus. Cum Of Feel The Noise você ja deve ter ouvido, Cover do Slave (conhecida também pela versão do Quiet Riot), e é a cara do Edguy, o nome, o momento, cover perfeito! Adorei a versão.

Standing In The Rain é uma música que foi gravada em 2005, poderia está no Superheroes (EP), não faz muito a cara do Age Of The Joker, mas eu gostei bastante dela e poderia entrar no album no lugar de Every Night Without You (vocês vão pensar que eu embacei com ela… Mas eu gostei da música, apenas achei as outras um pouco melhores).

O Bonus Disc termina com as versões Singles de Robin Hood e Two Out Of Seven, legal para um CD Bonus, pois é material a mais, mas as versões originais são bem melhores, quem ouve Robin Hood (Single Version) ao invés da original é preguiçoso e Two Out Of Seven está sem os palavrões no final, o que tira o ar de graça na música.

Age of The Joker, não, ele não é nenhuma obra-prima, mas só quem fala mal dele são os fãs “truezão” mesmo, é um ótimo Hard Rock que mistura Folk, Country, Power (Sim, tem partes Power, a raiz tá aí!), e Heavy Metal. Album versatíl e que merece destaque nesse ano de 2011, pois me fale outra banda que fez mudança tão dramatica que nem o Edguy? Os caras merecem respeito e saldo de palmas, fizeram um grande trabalho, continuem assim! (E olha que eu ja quero outro album deles).

Nota: 

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s