The Jayhawks – Mockingbird Time (2011)

Origem: Estados Unidos
Gêneros: Rock Alternativo, Country Alternativo
Gravadoras: Rounder, UMG

A banda The Jayhawks, formada em 1985, lança seu 8° disco de estúdio, o 1° álbum após o hiato de 4 anos, de 2005 a 2009. O disco também marca o retorno do frontman e fundador do The Jayhawks, Mark Olson, que estava fora do grupo desde 1995, época do lançamento do Tomorrow The Green Grass. A análise será feita pela dupla Mateus Pascoal e eu, Andrews Senna. Para conferir as análises completas, clique no link abaixo.

Andrews Senna:

Os senhores Gary Louris, Mark Olson, Tim O’Reagan Karen Grotber e Marc Perlman estão de parabéns. Fizeram um lindo trabalho. Um lançamento recheado de belas músicas, empolgantes e de fácil assimilação. Qualquer pessoa pode ouvir esse disco e por em sua coletânea de disco favoritos.

O disco começa com Hide Your Colors. Essa música me cativou bastante, que merece destaque. Seu refrão é grudento, daqueles que quando você uma vez, você não consegue tirar. Mas analisando mais com calma, o disco é grudento. Não, isso não é uma crítica, isso é um elogio. Todas as faixas, todas mesmo, tem seu momento em que você não vai descartar. Até as faixas que eu considerei descartáveis, como Cinnamon Love e Guilder Annie são boas e grudentas. Todas as faixas são boas. Mas em alguns momentos você pode se cansar, principalmente após a faixa High Water Blues, umas da melhores do disco. Mas o disco volta a ficar excelente e empolgante em Black-Eyed Susan. O álbum termina com Hey Mr. Man, também é umas das melhores faixas do disco, terminando de maneirando empolgante, dando aquele vontade de quero mais.

Em minha opinião, Mockingbird Time é um dos melhores lançamentos do ano, senão o melhor. O grupo norte-americano soube fazer um disco maduro e muito bem trabalhado. Para quem gosta do gênero, vai adorar ter esse álbum em sua coleção. E quem nunca ouviu esse álbum, ouça, não vai se arrepender, a não ser que você seja fã de metal extremo. E uma dica: O disco é excelente para ouvir em uma viagem para interior. Se você quiser algum disco novo para escutar em uma viagem, Mockingbird Time é perfeito, até mesmo para seus pais e avós ouvirem.

Mateus Pascoal:

The Jayhawks, que na verdade eu não conhecia o trabalho desses caras do Rock Alternativo que mistura o Country em sua música muito bem, diria que é uma ótima banda para se ouvir enquando você faz aquelas viagens de estrada que dura de 2 a 4 horas, e é o que “Mockingbird Time” (2011) mostra. Mockingbird Time é um album lindo de se ouvir com uma pegada Country muito boa, algo que faz você relaxar e o leva a uma atmosfera muito agradável, sem falar do instrumental, passagens lindas de pianos e com partes empolgantes de gaitas, a guitarra “Pink Floydiana” em alguns trechos, isso faz esse disco um grande lançamento desse ano e deixará todos mais ansiosos até o fim do ano, aonde muitos albuns bons estão sendo lançados e que ainda promete mais!

O album começa com a ótima e emocionante Hide Your Colors, vocal cantado suavemente com o instrumental simplesmente lindo, sem palavras para o Violoncelo no fundo. Logo a seguir vem a também bela Closer To Your Side que é um pouco mais animada do que a sua antecessora mas o clima relaxante permanece. Tiny Arrows é a terceira faixa, simplesmente linda e perfeita, a melhor do album para mim, o vocal e o backing vocal está perfeito, se encaixando muito bem na tal guitarra que lembra o Pink Floyd, teclado bem instalado no fundo e refrão marcante e pegante.

She Walks In So Many Ways e High Water Blues são as seguintes, duas faixas mais animadas e cativante e a música-título é a próxima, Mockingbird Time é uma música bastante bonita, gaita bem legal e participativa, na primeira audição eu assumo que não me caiu muito bem, mas ouvindo outras vez da para ver a beleza dela, música boa,  e o album continua com Stand Out In The Rain que mesmo sendo uma música boa é descartável para o album, ela faz o album cair um pouco de produção, talvez seria interessante como Bonus Track ou em algum Single, música boa, porém, descartavel para o album. Cinnamon Love começa com uma intro legal de gaita e ao desenrolar da música o piano aparece muito bem, talvez alguns canse dela se ouvir ela juntamente com o album todo, mas ela tem bons elementos e me agradou.

Como falei, Cinnamon Love mesmo sendo boa pode desgastar você a esse final do album, ainda mais porque sua próxima música é Guilder Annie, backings vocals suaves e lindos, mas pode desgastar você também ao desenrolar do album, música interessante porém também descartável. Se você não é muito chegado ao elemento Country e chegou até aqui e meio “cansado” pelas ultimas músicas, não desanime, Black-Eyed Susan traz a empolgação a volta denovo, instrumental muito bom mesmo, música relaxante e partes emocionantes como a gaita mais para o final da música, a segunda melhor do album!

Depois de se entusiasmar com Black-Eyed Susan, vem Pouring Rain Dawn, típicas daquelas músicas de “Cowboys Tristes”, música interessante para você deitar e pensar na vida. E o album encerra com Hey Mr. Man que tem um baixo muito legal quase como um riff e um refrão bastante legal, violão também faz seu trabalho, acompanhado pelo ja dito baixo, que é  o diferencial da música, e com um final bem Country acaba o album, jeito cativante de se fechar um album.

Resumindo, Mockingbird Time é um ótimo album, recomendo não só para baixar e ouvir ele uma vez, mas sim comprar e sempre o ouvir em uma tarde relaxante ou na estrada com seu carro, ótimo trabalho do The Jayhawks!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s