Simple Plan – Get Your Heart On! (2011)

Origem: Canadá
Gênero: Pop Punk, Power Pop, Rock Alternativo
Gravadora: Lava, Atlantic

O quarto disco do quinteto canadense Simple Plan é o “Get Your Heart On!”, que foi produzido por Brian Howes. O disco possui onze faixas, e para ser bem honesto, eu não sou fã de Simple Plan, para deixar claro. Mas eu nunca parei para ouvir um disco inteiro deles e analisar por completo. Com o lançamento de “Get Your Heart On!”, acredito que seja uma boa escolha. Será que os caras do Simple Plan conseguiram mudar o som, ou mudar sua atitude neste disco?

A faixa inicial é You Suck At Love, é uma faixa empolgante. Não é aquela coisa mágica, mas não é ruim. Ela cativa o ouvinte. Em sua seguida vem Can’t Keep My Hands Off You, é animada, lembrando um Offspring feliz e outras bandas da Califórnia. Tem participação especial de Rivers Cuomo. Jet Lag é a próxima com participação de Natasha Bedingfield. A canção é legal, mas nada de especial. Você pode ouvir a mesma coisa de outras bandas da Califórnia, a única diferença é que o álbum é melhor produzido e tem participações especiais, como a gata da Natasha. Quarta faixa do disco é Astronaut. Uma intro simples e bonita com violão e vocal, e logo após isso, vem a banda fazer uma baladinha. Dá para ser considerada uma das melhores canções do disco. Após a balada, vem a música com um dos nomes mais idiotas que eu já li, Loser Of The Year. A quinta faixa do álbum é aquelas que, se você é fã da banda, vai fazer seu “balança-cabeça-igual-ao-metaleiro-do-meu-irmão”, pular e fazer bagunça no seu quarto. A faixa tem um momento balada, que pode até ser considerado desnecessário, acabando com o momento da faixa. Mas talvez esta seja a ideia, pois depois de você fazer seu “balança-cabeça-igual-ao-metaleiro-do-meu-irmão”, respira fundo, balança mais um pouco, e depois termina cansado.

A sexta música é a pop, extremamente pop, Anywhere Else But Here. Não consigo dizer nada positivo sobre ela. O mais próximo de positivo é que é grudenta, mas é uma música tão pobrinha e sem criatividade, que não deveria estar no disco. Freaking Me Out é a sétima faixa, com participação especial de Alex Gaskarth, e que introdução mais irritante! O timbre de Alex é incrível. Acredito que Alex poderia até participar de bandas de diversos gêneros, pois ela encaixou muito bem com o instrumental. Antes que digam alguma coisa, as músicas não tem muito destaques instrumentais. Os destaques são para alguns momentos de piano/teclado e o vocalista Pierre Bouvier. Não que ele seja um vocalista espetacular, mas o timbre dele encaixa perfeitamente com o instrumental, sem falar que tem uma voz bonita e excelente para o gênero pop, principalmente para adolescentes. Ele merece meu respeito. A oitava faixa é Summer Paradise, com participação de K’naan. Faixa bem diferenciada, e feliz, algo bem interessante e uma das mais cativantes do álbum, mas a participação de K’naan deixa a faixa estranha, acaba até estragando a música.

A nona canção é Gone Too Soon. É uma faixa bonita, mas nada de espetacular. Pode ser considerada a mais fraca do disco, e a partir dela há uma queda de qualidade do disco. A décima faixa faça é Last One Standing, é começa empolgante, e o vocalista Pierre canta com um fundo de teclado diferente. É interessante, mas o teclado acaba deixando a faixa um pouco irritante. O refrão empolga e gruda. Boa faixa, tirando o teclado. A última faixa é This Song Saved My Life, com participação das fãs do grupo canadense no final dela. É mais uma balada, encerrando o disco bem no estilo Hard Rock. É bonitinha, mas bobinha. A ideia das fãs cantarem é legal e interessante.

O disco pode ser dito como uma mudança do grupo. Simple Plan é conhecido como emo, bem, nesse disco, nem mesmo as letras estão tão emos. Elas estão felizes, e bobas. Você não precisa ter um conhecimento enorme da língua Inglesa para saber que as letras são bobinhas. O que se pode se dizer sobre o Simple Plan, após o “Get Your Heart On!”, é que agora virou uma banda de “happy rock”. É um som feliz, e possui os mesmos elementos do tal gênero. A única diferença é ele ser muito bem produzido. Mas isso não tira a qualidade geral do disco, que pode ser considerado bom até por quem não gosta da banda, por ser algo feliz, cativante e empolgante. Fãs do grupo irão adorar as músicas.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s